Lira lançou primeiro livro do Glauco

Minorias do Glauco foi impresso pela gráfica do Lira Paulistana, que teve vida curta, mas contribui para a cultura nacional

A capa da segunda edição do livro de Glauco. A impressão foi pela gráfica do Lira

A capa da segunda edição do livro de Glauco. A impressão foi pela gráfica do Lira

Para imprimir pequenos cartazes e filipetas que divulgariam os espetáculos realizados no Teatro do Lira, foi comprada – de segunda mão – e instalada em um imóvel na Praça Benedito Calixto, que já servia de sede administrativa e redação do jornal, uma máquina Ricoh, de um só tinteiro e com matriz de papel fotográfico. Aos poucos, a gráfica do Lira começou a realizar serviços de terceiros e a atender a todo um grupo de pessoas e artistas de Pinheiros, Vila Madalena e adjacências que não tinham acesso às gráficas convencionais em função dos altos preços cobrados.

Glauco Vilas Boas (1957-2010), o cartunista Glauco, foi um deles. Frustrado com os orçamentos que encontrou nas gráficas convencionais, levantou a possibilidade de imprimir seu primeiro livro, Minorias do Glauco, na gráfica do Lira: assim, era criada a Editora Lira Paulistana e a Coleção Riso de Bolso.

Minorias do Glauco foi impresso naquela precária máquina, de um só tinteiro, com capa em três cores. O livro foi lançado no próprio teatro do Lira, no dia 7 de maio de 1982, com uma grande festa.

O livro de Glauco chegou a ter uma segunda edição, também feita pela Gráfica e Editora Lira Paulistana, que teve uma vida efêmera. A Pulga e a Daninha, livro baseado na música de mesmo nome de Pedro Mourão, do Grupo Rumo, e ilustrado por Ivan Batista e Marcelo Araújo foi o segundo e último livro publicado pelo Lira.

*Texto extraído e adaptado do Jornal Lira Paulistana – Edição Especial – 30 anos/dezembro de 2009

Comentários

comentários